GLAMPING, uma junção dos termos “glamour” e “camping”, é a nova tendência do turismo do Norte de Portugal, onde acampar já não é sinónimo de uma tenda e de uma noite mal dormida num mero saco-cama.

É sim, um conceito inovador, para os aventureiros mais sofisticados, de se fazer campismo em condições dignas da alta nobreza, que o nosso território está a saber absorver e adaptar às mais-valias disponíveis no Norte. Agora é possível acampar em tendas espaçosas, com camas semelhantes à de um hotel cinco estrelas. O conforto é o mesmo, mas com a vantagem, para quem gosta de campismo, de usufruir da proximidade com a natureza.

Não lhe parece realmente apetecível?

Apesar da oferta de alojamento para o ‘glamping’ ser ainda incipiente, segundo uma análise do presidente da TPNP, este fenómeno turístico está a revelar-se atrativo para quem procura o Norte do país para o turismo de natureza. Este Verão as taxas de ocupação estão, inclusivamente, já próximas dos 100%.

Este é um produto estratégico que tem vindo a crescer de forma consistente de ano para ano e já várias entidades públicas e privadas estão a ajustar-se e a reinventar-se para que a diversidade de experiências e de contacto com a região seja o mais personalizada possível, havendo cada vez mais apetência para a oferta de segmentos de luxo.

Esta é uma oferta que se estende ainda àqueles que não dispensam a companhia dos seus animais de estimação. Conheça AQUI alguns desses locais.

Dados do Turismo do Porto e Norte de Portugal mostram que o turismo de natureza cresceu 8%, entre janeiro e julho, sendo o principal factor de atracção para cerca de 37% dos turistas que visitam a região, sendo ainda o “4.º factor de motivação na visita ao território”. O turista de natureza fica em média quatro a cinco dias e vem sobretudo do norte da Europa e França.

Poderá ser caso para repensar a estratégia atual frente à mudança, em prol de um agarrar de oportunidades?

Written by Admin Marketing